A Moura Torta (Helena Gomes & Kako)


Retiramos esse conto do livro A donzela sem mãos e outros contos populares, onde o leitor pode encontrar contos diferentes com fortes personagens femininas, autônomas e com muita iniciativa. Trata-se de uma coletânea lindíssima, premiada com as adaptações de Helena Gomes; excelência, delicadeza e humor sagaz caracterizam seu trabalho. Outra detalhe que torna essa obra tão magistral são as ilustrações de Kako.

Está procurando por imagens inspiradoras? Confira nossa pesquisa sobre as ilustrações desse livro! https://www.google.com.br/search?q=kako+a+donzela+sem+m%C3%A3os&espv=2&biw=1366&bih=638&source=lnms&tbm=isch&sa=X&ved=0ahUKEwiMqLyk2-rRAhWMkJAKHUlbBIkQ_AUIBygC

Mas vamos ao nosso conto de hoje...

A Moura Torta, tem todos os elementos de um conto clássico: um rei poderoso, um príncipe jovem, uma bela donzela resgatada, uma velhinha misteriosa à beira da estrada cheia de objetos mágicos, uma megera que enfeitiça a donzela. Seu enredo, no entanto, não é nada óbvio, na verdade surpreende até os mais ávidos leitores desses contos fantásticos. O rei não quer deixar seu filho partir, e passa a ser um estranho; o príncipe, apesar de desbravador e corajoso, é tolo e não quer assumir suas obrigações reais; a velhinha tão suspeita é apenas gentil; a donzela resgatada é uma mimada desagradável e, por fim, a moura torta, nossa megera, nossa vilã é uma mulher que busca acima de tudo sua liberdade.

Se nos contos maravilhosos nos surpreendemos com as sutilezas entre o dia e a noite, o claro e o escuro, o certo e o errado, as nuances de A Moura Torta fazem os leitores perderem o chão!

Por isso leiam, leiam, leiam e releiam!

Pontos para conversa:

1) Autonomia, liberdade e independência;

2) Viagens e mochilão;

3) Culturas e diversidade;

4) Trabalho;

5) Objetos encantados;

6) Escravidão;

7) Preconceito e desrespeito;

8) Amor e conquista;

9) Traição;

10) Segredos;

11) Corte e nobreza;

12) Vida conjugal;

13) Tristeza;

14) Culpa;

15) Violência;

16) Luto e morte;

17) Destino e acaso;

18) Redenção, reconciliação e perdão;

19) Maldições e sacrifícios;

20) Questões de gênero.

Dicas de Mediação:

1) Nossa dica clássica: valorize e investigue o título! (Página 87). Povos árabes do norte da África que conquistaram e viveram na Península Ibérica ficaram conhecidos por mouros. Sabendo disso podemos pensar, de onde será que pode ser nossa história? Qual será o papel da moura para esta história? Ajude as crianças, auxiliando que elas lembrem de outros títulos que tem o nome de outros personagens no título e qual a função desses personagens para a história.

2) Essa história é desafiadora logo no início, alguém já conheceu um príncipe que não queria poder nem riqueza? O que é fazer um mochilão? Que lugares será que as crianças gostariam de conhecer? (Página 88).

3) Ainda na primeira página, descobrimos tudo que o príncipe aprendeu em três anos de viagem. Aproveite a oportunidade para conversar sobre as crianças sobre as vantagens e desvantagens em viajar/morar sozinho.

4) Após ajudar uma velha senhora a carregar um feixe de lenha, o príncipe recebe três laranjas em retorno, com a recomendação de que só as descascasse perto de água corrente. Por que será que ela recomendou isso para ele? Isso poderia ocorrer como pergunta ao príncipe, se ele estivesse prestando atenção. Por isso acaba que a pergunta fica apenas para nós, leitores. (Página 89).

5) Horas mais tarde, o príncipe descascou a primeira laranja e foi surpreendido por um grito fino e uma mulher que saiu da laranja. Ela exige água ou leite, mas como não foi atendida, desapareceu no ar. Quando abriu a segunda laranja a mesma coisa aconteceu! O que está faltando o príncipe fazer para conseguir fazer as moças enfeitiçadas ficarem? (Páginas 88 e 89).

6) Na hora de abrir a terceira laranja, o príncipe finalmente segue à risca a orientação da velhinha e a moça não desaparece (Página 89). Ela conta sua história, e não pergunta sobre suas irmãs, o rapaz aproveita para não comentar a respeito, ele se sente culpado por ter sido responsável pelo desaparecimento definitivo delas. O que as crianças acham sobre isso? O que elas fariam no lugar dele?

7) A linda donzela loira, ao descobrir que seu salvador era um príncipe, exige que ele a leve ao castelo e lhe arranje um vestido digno de uma princesa. O que se pode inferir sobre a personalidade da donzela? Como será que o príncipe se sentiu ao ver que teria que voltar para o castelo? (Página 90).

8) Apenas na página 92 somos apresentados a moça/vilã que dá título ao conto. Descobrimos que ela é uma escrava e que tanto a natureza quando sua história foram muito cruéis com ela. Ela não sabia seu nome, era caolha, não era bela e ainda por cima - devido a um desvio de coluna e os anos de trabalho pesado - era torta. Por que será que o título leva seu nome e não faz referência a donzela resgatada da laranja?

9) O encontro entre a donzela loira e a moura torta não foi amistoso. Por duas vezes a moura quebrou o vaso que trazia e enfrentou sérias consequências. O conto nos diz que foi a surpresa de ver um reflexo tão belo que fez ela deixar o vaso cair. (Páginas 92 e 93). De quem será que é o reflexo? E por que será que a moura se assustou tanto?

10) Na terceira vez a moura descobre quem é a dona do reflexo, e percebe que a donzela está rindo dela, debochando (páginas 94 e 95). A donzela não é nada gentil com a moura e a própria narradora pergunta: "A troco de quê tanta zombaria?" Como você se sentiria no lugar da moura, o que faria? Já passou por uma situação assim?

11) A moura se oferece para trançar os cabelos da loira, e então descobrimos que uma velhinha - será que já a conhecemos? - entregou a ela um alfinete com a promessa que ele garantiria sua liberdade, "se o usasse na pessoa certa" (página 96). Como será que um alfinete poderia ajudá-la? Quem será a pessoa certa?

12) O alfinete é mágico e transforma a loira em uma pomba branca (de olhos verdes furiosos), a moura então se veste com a capa do príncipe e sobre na árvore. "Um príncipe, certo? Vamos ver aonde isso vai me levar". Qual será seu plano? (Página 97).

13) O príncipe precisou ir a uma cidade próxima e trabalhou um dia inteiro para conseguir pagar um vestido para sua donzela, ao voltar (página 97) é surpreendido por uma mulher feia que não lembrava em nada a loira que havia resgatado. A moura lhe diz que devido a sua ausência a maldição voltou a fazer efeito e que ela perdera sua beleza. O rapaz se sente muito culpado e é novamente surpreendido pela reação de gratidão que ela tem ao ver o vestido (página 98). Ele se pergunta: "Essa é a mesma jovem que saiu da laranja?". Além da aparência, o que mais pôde ter ajudado o príncipe a desconfiar da moça?

14) À caminho do castelo, os laços entre a moura e o príncipe se estreitam através do trabalho e do gosto que tem pela liberdade. Ela se delicia com a novidades de sua nova condição de mulher livre e demonstra entusiasmo por tudo. Embora entusiastas da liberdade, logo eles descobrem que estão presos um ao outro, as algemas poderosas do amor e admiração. No castelo, o rei e a corte não recebeu bem a moura. Por que será que apesar da felicidade do filho o rei não aprova a jovem? (Páginas 99 e 100).

15) Com o casamento, ela se torna rainha, e ensina a todos que não é a beleza que faz uma governante ser boa, "Tornou-se a princesa amada pelos ricos de coração e odiada pelos pobres de espírito". O que será que o narrador quis dizer com isso? Qual de suas mediadas podem ter sido aprovadas pelos ricos de coração e desaprovada pelos pobres de espírito? (Página 101).

16) Mas o destino traz a princesa moura uma pombinha branca enfurecida - com olhos bem conhecidos. Ela se sentiu tão incomodada com a presença da donzela da laranja que ameaçou comê-la com molho de amora. Mas logo descobrimos que sua ameaça era vazia quando o príncipe a surpreendeu num almoço - servindo pomba com amora. Ao ver o prato ela fica horrorizada e é invadida pela culpa e pela tristeza. (Páginas 101 e 102). O que as crianças acham da reação da moura? Ajude as crianças a lembrar como outras vilãs se sentiram ao derrotar seus inimigos, a reação da princesa é coerente com o comportamento de uma vilã?

17) A tristeza consome a princesa, enquanto a culpa é um fardo que tanto ela e seu esposo carregam, tudo isso começa a criar uma distância entre o casal. O que eles poderiam fazer para diminuir essa distância? (Página 103).

18) Ao consolo do príncipe surge uma pequena pomba branca... de olhos verdes! Logo que ela recupera sua forma humana, acusa a princesa de amaldiçoá-la e ocupar seu lugar! (Páginas 103 e 104). Aproveite esse momento de virada na história para checar os ânimos. Afinal qual será o destino da princesa moura?

19) A loira da laranja ganha de imediato o apoio do rei e exige que a moura seja punida com a morte. Sem demora, ela já estava pronta para ser executada, e no último instante seu marido se aproxima dela. "Por quê?" ele pergunta e ela responde: "Sou a vilã da história e é assim que as coisas funcionam". As crianças concordam com ela? Por que será que a moura acha que ela é a vilã da história? (Página 105).

20) O príncipe liberta então sua esposa, transformando-a em um pombo, usando o mesmo alfinete que ela usara na donzela da laranja. Ele recebe aplausos e vaias da corte e do povo. Quem será que vaiou? E quem aplaudiu? (Página 105).

21) O príncipe se sente magoado, traído e tolo. Não aceita assumir um casamento com a donzela loira que o chama de covarde e exige jóias, sapatos e vestidos. Ele desiste de assumir o trono quando seu pai faleceu e assim como sua esposa parte em busca de liberdade. O que as crianças acham sobre o comportamento do príncipe?

22) A história parece que vai terminar como começou o príncipe em sua longa viagem encontra uma senhora carregando feixes pesados de lenha, logo o príncipe a ajuda, mas recusa levar moedas ou laranjas da senhora. Algo na resposta dela faz parecer que ela conhecia a índole da donzela resgatada. (Páginas 108 e 109). O que foi que ela disse?

23) O príncipe não repete a história, e se vê ajudando a senhora mais uma vez, indo alimentar as meninas no seu quintal. Esperando encontrar crianças, apenas encontrou pombas e uma delas lhe chamou a atenção. Era escura, caolha, torta e tinha olhos tristes. Quem será conhecemos alguém assim? (Página 109).

24) O príncipe se aproxima dela com cuidado e disse "Vamos ver aonde isso vai me levar". É a segunda vez que o príncipe disse isso, e é a mesma frase que a moura disse antes de assumir o lugar da donzela. Qual o sentido dessa frase nessas situações? (Página 110).

"Com um sorriso gigantesco, ele libertou a única vilã que desejava para sua história."

=')

Destaque
Tags

© 2023 por Amante de Livros. Orgulhosamente criado com Wix.com

  • Facebook B&W
  • Twitter B&W
  • Google+ B&W