O pote vazio (Demi)

Muitas culturas marcaram histórias em seus tesouros, essa é uma daquelas histórias delicadas, escritas com um pincel fino num vaso de porcelana. Hoje vamos diretamente para a China Imperial, acompanhar Ping em um desafio feito pelo próprio imperador.

Será que nosso protagonista vai conseguir fazer seu melhor e cultivar a flor mais bonita do império? Será que vai saber ler as dicas da natureza e fazer sua parte com seu talento natural?

Ao virar as páginas nos sentimos como alguém que manuseia um vaso frágil ou passando por um museu de peças raras, mas não se deixe enganar por esta aparecia e não julgue a obra como desinteressante ou sem sal. O pote vazio, apesar de ser um livro delicado em muitos aspectos (da narrativa à paleta de cores), guarda em si uma intensa áurea afetiva e profundas provocações sobre valores e integridade.

Pontos de conversa:

1) China imperial;

2) Imperadores, reis, sucessores;

3) Jardinagem;

4) Competição;

5) Flores, plantas, cultivo;

6) Sinceridade;

7) Expertise e talento;

8) Erros e fracassos;

9) Trabalho e esforço;

10) Mentira;

11) Decepção e vergonha;

12) Honra;

13) Coragem.

Dicas de mediação:

1) Na capa, há uma criança segurando um vaso sem anda. Hora de criar expectativa nas crianças, uma maneira de começar a envolvê-las na história. Sobre o que será que este livro vai falar?

2) Há muito tempo, em um lugar na China, morava Ping, um menino que adorava flores. Ele parecia ter um dom muito especial, pois tudo o que plantava, florescia. (Página 5) . Aproveite para ampliar o vocabulário das crianças, elas sabem o que significa a expressão dedo verde? Será que elas conhecem alguém tão talentosa como Ping?

3) Todos no reino adoravam flores, o ar inteiro era perfumado, até o imperador cuidava de seu próprio jardim. (págs. 6 a 8). As crianças já conheceram um lugar perfumado assim? Elas já tiveram a experiência de plantar algo?

4) O imperador estava velho e precisava escolher um sucessor, na página 10 o próprio livro já propõem uma intervenção: "Quem poderia herdar seu trono? Como fazer está escolha?". Incentive as crianças a pensarem como o imperador poderia fazer essa escolha antes de prosseguir com a narrativa. Recebemos uma resposta em seguida, muito misteriosa. "Já que gostava muito de flores, o imperador resolveu deixar as flores escolherem", mas como assim? Como as flores poderiam escolher?

5) O imperador então resolve dar uma semente para cada criança, dizendo que seu sucessor seria aquele que fizesse o melhor possível dentro de um ano, página 11. Todas as crianças aceitam o desafio, inclusive Ping. (Páginas 12 e 13). Todos querem cultivar algo belo para o imperador e ser escolhido ser seu sucessor. Mas afinal, o que faz um imperador? Você gostaria de seu um imperador?

6) Ping planta sua semente em uma porção de terra de boa qualidade, o que mais é necessário para fazer uma planta germinar e florescer? (Página 15).

7) Ping regava sua semente todos os dias (pág. 16), e por mais que esperasse nada crescia no vaso (pág. 17). Por que será que a semente de Ping não germinou? O que será que pode estar faltando para essa planta florescer? E como será que Ping está se sentindo com essa história?

8) Ping começa a ficar preocupado e pega terra nova (pág. 18), transporta a semente para um vaso maior. Então Ping espera dois meses (pág. 20), o resto do ano (pág. 21). Acompanhe com as crianças as mudanças de estação ilustradas.

9) Chega a primavera (página 22), e todos que receberam as sementes correm para o palácio com suas flores. Olha que curioso, na página 23, ninguém tem uma flor igual a de outra pessoa! Ping está envergonhado, acha que as outras crianças vão zombá-lo por causa de seu vaso sem flor (pág. 24), surge seu amigo com uma grande flor na página seguinte. O que você faria no lugar de Ping? Como se sentiria se falhasse em algo que sabe fazer - e sabe fazer bem?

10) O pai o aconselha a levar o vaso sem flor, "Você fez o melhor que pôde, e o melhor possível deve ser apresentado ao imperador" (pág. 26), Ping então leva seu pote vazio ao palácio. O que será que vai acontecer?

11) O imperador examina as flores (pág. 28), elas eram muito boninas, mas o imperador estava sério e não falava (pág. 29). Por que será que o imperador estava tão sério?

12) Chegou a vez de Ping (página 30) e com sua vez chega a hora da pergunta temida. "Por que você me trouxe um vaso sem flor?". A densidade demográfica muda radicalmente nessas páginas, nas anteriores (28 e 29) é muito populoso e agora (30 e 31) só vemos o imperador e Ping (um em canto) qual o impacto afetivo dessa mudança nas ilustrações?

13) Ping chora explicando seu árduo esforço enquanto as outras crianças apontam e riem (página 32), uma mudança radical acontece na ilustração seguinte, Ping ainda chora (mas não de tristeza) e as outras crianças não riem mais. Qual foi a reação das outras crianças (do livro) quando o imperador fez Ping seu sucessor? E qual foi a reação de suas crianças leitoras? Elas haviam pensado que o imperador poderia julgá-las dessa forma, pela honestidade?

14) Agora que o livro terminou com o imperador admirando Ping por sua coragem em trazer a verdade, pergunte as crianças em que situação elas precisaram ser como Ping. Mas provoque também para ampliar a compreensão delas e incentivar seu senso crítico - é também preciso ser corajoso para mentir?

Esperamos que você tenha gostado desse gostinho de China!

Compartilhe conosco sua experiência com essa viagem literária.

Destaque
Tags

© 2023 por Amante de Livros. Orgulhosamente criado com Wix.com

  • Facebook B&W
  • Twitter B&W
  • Google+ B&W