© 2023 por Amante de Livros. Orgulhosamente criado com Wix.com

  • Facebook B&W
  • Twitter B&W
  • Google+ B&W
Please reload

Tags
Destaque

A águia que não queria voar (James Aggrey & Wolf Erlbruch)

December 28, 2017

1/10
Please reload

Selou e Maya: Maya e Selou (Lara Meana & María Pascual de la Torre)

03.11.2016

 

Maya e Selou ou Selou e Maya (depende de onde se começa a leitura =D), das autoras Lara Meana e María Pascual de la Torre, é um livro incrível e surpreendente! Conta o planejamento super imaginativo e divertido do dia do menino Selou, que nos leva a viajar em suas ideias! Quando menos se espera, nos deparamos com o fim desse conto e o início da história de Maya, que conta sobre as aventuras que pretende viver e os lugares onde pretende morar quando crescer. As duas crianças são filhas de pais de diferentes países! Ao fim das duas histórias, o leitor fica reflexivo sobre a relação entre a vida dessas duas crianças, sobre infância e imaginação, sobre questões culturais.

Trata-se de uma história, única, divertida e linda (as ilustrações são dignas de serem vistas e revistas, investigadas com os olhos, mas também com as mãos,  pois dão a impressão de terem diferentes texturas. 

 

Pontos de conversa:

1) Diferenças culturais;

2) Infância;

3) Imaginação;

4) Aventuras;

5) Família e origens familiares;

6) Vizinhança;

7) Sonhos;

8) Questões de gênero;

9) Maternidade e Paternidade;

10) Lendo para crianças;

11) Histórias para dormir;

12) Primeiros anos de vida e infância pós alfabetização.

13) Vizinhança;

14) Imigração.

 

Dicas de leitura dialógica: 

 

Selou e Maya, começando o livro pela história do Selou:

1) Ainda na capa: “Como vocês acham que será a história, sobre o que vai ser?”

2) Página da árvore genealógica: Nesse ponto, pode-se fazer um diálogo bem livre, conversar sobre família; mostrar como é a família de Selou, os países de onde vem a família. Perguntar como é a família das crianças, de onde são, onde elas nasceram. Perguntar como será ter família de outros países.

3) Página do galo: “É muito ruim acordar assim, com um susto, não é? Qual a sensação que dá? Como vocês acham que o Selou se sentiu?

4) Página do “piu”: “Comendo minhocas! Vocês já comeram minhocas? Será que isso é comum nos países onde os pais do Selou vieram? Vocês conhecem comidas diferentes, que a gente não tem costume de comer aqui no Brasil?

5) Página do “piu” e do elefante: “Como são esses animais dos quais o Selou está falando? Por que será que eles são assim?”

6) Página do jacaré: “E esse jacaré, como é? Olha a expressão dele, como vocês acham que ele está se sentindo? E onde eles estão?”

7) Página do papai: “O Selou gosta de ouvir histórias do pai dele. E vocês, gostam de ouvir histórias dos pais, dos irmãos, dos avós de vocês? Quais histórias vocês já ouviram?”

8) Página de mudar pra história da Maya: “Antes de começar a outra história, eu queria perguntar uma coisa pra vocês. Olha, o Selou nos contou os ‘planejamentos’ do dia dele. Se vocês pudessem fazer planejamentos assim como os dele para o dia de hoje, o que planejariam?” (incentive as crianças a fazerem seus planejamentos de maneira bem criativa, e bem imaginativa, como o Selou).

 

Segundo conto: Maya e Selou, começando pela história de Maya.

1) Ainda na capa: E essa outra história, como vocês acham que vai ser?

2) Página da árvore genealógica: pode-se usar os mesmos tópicos de discussão da árvore genealógica do Selou, falando de possíveis diferenças culturais entre os países, mostrando as espécies de árvores que representam cada país (no caso do ipê, pode-se perguntar se eles já viram).

3) Página em que ela acorda: “Onde será que a Maya tem vontade de morar? E vocês, têm vontade de morar em outros lugares, ou conhecer em outros lugares?”.

4) Página do carrossel: “A Maya tem vontade de passear no Central Park. E vocês, que passeios têm vontade de fazer nesses lugares que vocês disseram querer morar/conhecer?”

5) Página do elefante: “Olhem essa imagem. Algo chama a atenção de vocês aqui?” (se observarem a janela, o Selou aparece atrás; nesse ponto, é possível voltar à imagem do “cavalinho”, da história do Selou e observar que na janela das casas atrás, pode-se ver a Maya).

6) Página mamãe: “A Maya gosta de contar aventuras para a mãe. E vocês, têm aventuras pra contar? Querem compartilhar alguma agora?”.

 

Ao final das duas histórias:

1) Instigue: qual será a relação entre a Maya e o Selou? Provoque as crianças, pedindo que elas observem e comparem as capas das duas histórias, note - e ajude as crianças as crianças a notarem - que há momentos em ambas as histórias que as casas de Maya e Selou são representadas lado a lado.

2) Solicite as crianças a observarem o quarto dos dois. (Página que divide o livro). ''O que chama a atenção de vocês aqui?” (ajude as crianças a perceber os objetos do quarto de cada um remete às ideias imaginativas que tiveram; pode-se conversar sobre os brinquedos de cada um tem e sobre os que as crianças tem, pode-se também perguntar que brinquedos as crianças tem que Maya e Selou tem). Pergunte também: “Quais são as diferenças entre os quartos? E no modo de ser de cada um dos dois?”.

 

Outas dicas:

1) Convide as crianças a construírem sua própria árvore genealógica, após montada peçam para elas verem suas semelhanças e suas diferenças e convide as crianças a compartilharem as histórias de suas famílias.

2) Para as crianças mais velhas pode ser sugerido que elas pesquisem sobre os países que aparecem nas árvores de Maya e de Selou, após esta pesquisa pode-se perguntar em que momentos a origem deles influenciou os contos. A partir daí, pode-se perguntar para as crianças como suas próprias origens influenciam seu dia a dia e suas crenças. 

 

 

 

 

Please reload