© 2023 por Amante de Livros. Orgulhosamente criado com Wix.com

  • Facebook B&W
  • Twitter B&W
  • Google+ B&W
Please reload

Tags
Destaque

A águia que não queria voar (James Aggrey & Wolf Erlbruch)

December 28, 2017

1/10
Please reload

O rei Gilgamesh (Ludmila Zeman)

16.02.2017

 

Gilgamesh foi um rei poderoso de grandes feitos e de grande coragem, seu nome ecoa pela história por mais de 5.000. Hoje, nossa voz se une a esse coro, para não deixar que suas origens e feitos sejam esquecidos.

 

O rei Gilgamesh é o primeiro livro de uma trilogia que foi recontado e ilustrado por Ludmila Zeman de forma primorosa. A narrativa é natural e fluída, basta fechar os olhos para nos sentirmos o calor da fogueira invadir nosso corpo e ouvirmos os sons misteriosos que a noite carrega. As cores metalizadas das ilustrações lembram a nobreza, rica e arrogante; porém também nos remete a própria luz solar que revela a riqueza dos homens que trazem sua fortuna no coração e no espírito.

 

Em uma história de tantos contrastes, nos perguntamos quem é o herói e quem é o vilão. Será o rei escolhido pelo próprio Deus Sol, o heroí? Ou será um homem selvagem que nunca conheceu a bondade humana o nosso herói?

 

Pontos de Conversa:

1) Mesopotâmia - geografia, história e cultura;

2) Amizade;

3) Arrogância e prepotência;

4) Muros e muralhas;

5) Política e líderes;

6) Vida cultural e vida na sociedade;

7) Conflitos e resolução;

8) Poder popular;

9) Povos da Antiguidade;

10) Intervenção divina;

11) Sociedades politeístas e deuses antigos;

12) Promessas;

13) Sacrifícios;

14) Antropomorfização;

15) Mudanças e reformas;

16) Lendas e epopeias;

17) Identidade, caráter, valores; 

18) Preconceito;

19) Reformas internas e mudanças externas;

20) Humanidade, empatia e bondade.

 

Dicas de Mediação: 

1) Vamos inferir e tentar adivinhar como vai ser o rei desta história! Nas primeiras páginas (2 e 3) somos apresentados ao rei Gilgamesh. Como será que um rei deve se sentir por ter sido envidado pelo próprio Deus Sol? 

a) "Gilgamesh era parte deus e parte homem. Parecia humano, mas não sabia o que era ser humano". Afinal, o que é ser um ser humano? Ajude as crianças a ler a imagem, se ele tem aparência de ser humano, qual será sua parte desumana? Ajude-as a expandir o conceito de identidade para além das aparências - abordando a ideia de caráter, personalidade, etc.

b) O rei queria fazer algo para que fosse lembrado para sempre! O que você faria para ser lembrado para sempre?

2) Começamos a conhecer um pouco mais sobre a dureza desse rei, nas páginas seguintes (4 e 5). Para demonstrar seu poder ele mandou seu povo construir uma grande muralha ao redor da cidade. Uma intervenção possível é perguntar se eles conhecem políticos ou países que construíram muros e muralhas, por exemplo: o muro do presidente Trump (entre USA e México), a muralha da China e o Muro de Berlim. Isso mesmo! Vamos falar sobre política! =)

a) Por que as pessoas constroem muros e muralhas? Quais são as funções deles? Incentive as crianças a pensarem tanto o aspecto positivo quando os aspectos negativos dessas construções.

b) Na ilustração, vemos características da arquitetura e da sociedade em que se passa a história. As crianças associam essa imagem a algum filme ou  outra cultura cultura?

3) O povo clama por ajuda diante da dureza de seu rei, e Deus Sol ajuda criando um homem (Enkidu) tão forte quanto Gilgamesh! (Página 6). Como isso pode ajudar?

a) "Logo que ele conheceu os animais, aprendeu a cuidar deles. Mas não conhecia a bondade humana porque nunca tinha visto uma pessoa". Qual será a diferença entre a bondade humana e o que ele aprendeu com os animais? Vocês conhecem a história de outras pessoas que foram criadas com animais, sem ter contato com seres humanos?

4) Na página 7, Enkidu encontra um caçador e não gosta nada dele. Observe e explore a ilustração junto com as crianças, note que ele complementa o texto. Será que Enkidu ajudar os animais pode ser considerado bondade? 

5) Ao chegar aos ouvidos do rei que há um homem tão forte quanto ele, Gilgamesh deseja destruí-lo. O rei resolve mandar Shamhat para atrair Enkidu até Uruk, através de sua música e seu charme. (Páginas 8 e 9). O que vocês acham desse plano? Se vocês fossem Shamhat, o que cantariam para Enkidu? 

a) Outra intervenção possível é perguntar: Além da força, o que Enkidu e Gilgamesh tem de comum entre si? E o que têm de diferente?

6) A música que Shamhat tocou se espalhou como magia e trouxe Enkidu para perto. Juntos eles descobrem o amor porque... o que seria de uma epopeia sem um grande amor? Shamhat o ensina a falar e cantar. Será que o plano de Gilgamesh deu certo? Por que sim? E por que não? Note que não há resposta certa para essa pergunta ainda!

7) Enkidu prometeu ficar com Shamhat para sempre, e, apesar dela lhe alertar sobre os perigos que ele encontrará em Uruk, ele decide ir com ela. Seus amigos animais não entendem sua partida (páginas 12 e 13). Como você explicaria sua partida se fosse Enkidu? Por que Shamhat decidiu voltar a Uruk?

8) Gilgamesh está a espera do homem selvagem, e todo seu povo também. Shamhat parece preocupada com a aparência de Enkidu, o que ela está tentando fazer quando corta seus cabelos e lhe dá algo para vestir? 

9) O combate de Gilgamesh e Enkidu começa com palavras (ilustração de baixo na página 16) que se transformam em ações (página 17). A narrativa de Ludmila é intensa e faz com que nos sintamos diante de uma fogueira ouvindo a noite e os trovões nos contarem essa história, por isso faça uso dos recursos da narrativa e as ilustrações para intensificar o clima afetivo conforme o conflito escala. Envolva as crianças nessa atmosfera afetiva e deixe o silêncio fazer sua parte e fazer o suspense. "Então, de repente, Gilgamesh tropeçou numa pedra solta, perdeu o equilíbrio e caiu na beira da muralha". Qual será o destino do rei?

10) A resposta vem primeiro através da imagem (página 18), por isso deixe as crianças contarem o que aconteceu antes de ir para o texto. É a própria narradora que deixa a pergunta para nós. "Por quê? Por que ele salvaria alguém que estava tentando matá-lo?". 

11) O conflito se encerra com um abraço, mas as perguntas ficam no ar. "O rei compreendeu finalmente o que era ser humano". Quais experiências levaram a esta percepção? Qual papel Enkidu teve nessa transformação? Será que este era o plano do Deus Sol quando criou Enkidu?

12) O livro termina com as mudanças internas do rei reverberando pelo seu reino. E a primeira parte da história de Gilgamesh termina por aqui. Deixando mais perguntas. Afinal, quais foram os grandes feitos de Gilgamesh para ele ser tão famoso? Pelo visto, nem toda história de um herói começa de forma heroica. 

 

Ao longo do ano traremos mais dessa história para vocês,

Acompanhe nossas postagens!

 

 

 

Please reload