© 2023 por Amante de Livros. Orgulhosamente criado com Wix.com

  • Facebook B&W
  • Twitter B&W
  • Google+ B&W
Please reload

Tags
Destaque

A águia que não queria voar (James Aggrey & Wolf Erlbruch)

December 28, 2017

1/10
Please reload

Chapeuzinho Amarelo (Chico Buarque & Ziraldo)

13.10.2016

"Era a Chapeuzinho Amarelo, 

Amarelada de medo. 

Tinha medo de tudo.''

 

Trazemos a vocês um livro muito especial, provocativo e divertido. Chapeuzinho Amarelo de Chico Buarque nos apresenta o poder paralisante do medo na vida de uma menina, que já não ri, nem brinca. Como poeta majestoso do jeito que é, Chico usa as palavras para nos apresentá-la, mas também é o jogo de palavras que leva Chapeuzinho a se desvincilhar de seu medo e transformá-lo.  A menina transforma seu medo em humor - quem já leu Harry Potter deve lembrar que é assim que lida com um bicho papão, transformando o medo em algo ridículo, digno de riso. Antes de irmos as dicas, fica um adendo bastante especial, as ilustrações expressivas e coloridas de Ziraldo que se casam lindamente com as rimas de Buarque, e devem ser valorizadas pelo mediador. 

 

Pontos de conversa:

1) Medos e anseios;

2) Brincadeiras infantis;

3) Brincando com palavras;

4) Racionalização;

5) Ansiedade;

6) Poesias e rimas;

7) Imaginação e criatividade;

8) Metalinguagem;

9) Lobo mau.

 

Dicas de mediação:

1) Chapeuzinho Amarelo é um título inusitado, podemos começar a mediação preparando as crianças para a personagem que vai aparecer. Uma das maneiras é perguntar se elas conhecem a Chapeuzinho Vermelho, e perguntar desde já o que elas esperam de diferença entre elas. (Capa).

2) Nas primeiras páginas (7 a 9) somos então apresentados a amarelada Chapeuzinho Amarelo, e o autor nos fala tudo o que ela não fazia por causa de seu medo! Quão paralisante o medo pode ser! Será que as crianças já se sentiram assim? 

3) Mas dentre os muitos medos de nossa Chapeuzinho, há aquele que é o "medo mais medonho" (página 10). E as crianças tem um medo mais medonho? Além disso, as crianças conseguem adivinhar qual é esse medo? 

4) Ela tem medo de LOBO! De LOBO! Mas é um LOBO que ela nem via, como que isso funciona? É possível termos medo do que a gente nunca viu? De coisas que nem conhecemos? (Páginas 10 a 13).

5) Eis que um dia ela se depara com seu pavor pavoroso, é o lobo que tem cara, jeito e olho de LOBO. Neste encontro como está Chapeuzinho? Como será que ela está se sentindo? (Página 14). Dê seguimento a narrativa e deixe as crianças observarem a imagem nas páginas seguintes. Será que o encontro de Chapeuzinho com seu maior medo, vai fazer com que ele aumente ou que ele diminua? Como foi para as crianças encontrar com seu medo mais pavoroso?

6) Nos deparamos então com uma surpresa, diante do medo, o medo de sentir medo de Chapeuzinho diminuiu... Com a paralisia do medo indo embora, ela reencontra o desejo e a vontade de fazer outras coisas. E agora? Como fica o lobo? (Páginas 18 a 21). Será que o lobo tinha medo? Por que será que ele ficou tão chateado com Chapeuzinho? (Páginas 22 e 23).

7) São nas páginas 24 e 25 que a transformação ocorre, seja por meio da imagem, seja por meio do som, marque bem a passagem em que LOBO se transforma em BOLO. Outra transformação ocorre. Agora quem está com medo de quem?! (Páginas 26 e 27). 

8) Ao enfrentar seu medo, outras coisas acontecem e mudam na vida de Chapeuzinho! (Páginas 28 e 29). O que mudou? Como ela era antes?

9) Chico então nos conta que Chapeuzinho soube usar esta estratégia para enfrentar outros medos. Como ela fez? Convide as crianças para brincar com seus medos através das palavras, quem sabe assim os trosmons voltam para o lugar a quem pertencem!

 

Confira experiências de mediação desta obra em nosso blog!

http://livrosabertosaquitodoscontam.blogspot.com.br/2012/08/diario-do-contador-larissa-araujo.html

 

 

 

Please reload